Zózimo de Souza Jr., Chapter Leader da Singularity University Curitiba, falou no Viasoft Connect 2020 sobre como ser e continuar relevante num futuro ambíguo e incerto. “Estreitar o futuro, criando cenários de possibilidades e oportunidades direcionados a ações imediatas para o presente e entender os impactos possíveis e exponenciais antecipando tendências, e preparar os tomadores de decisão para as mudanças. A inovação e a disrupção estão diretamente relacionadas a tudo isso”, observou.

Em sua apresentação Zózimo que as organizações devem começar a procurar oportunidades futuras que antecipem as mudanças inevitáveis e a longo prazo. Também devem ter estratégias macro, meso e micro para modelar ecossistemas construindo todo um panorama de impactos nas áreas social tecnológica, econômica, ambientais e política.

Zózimo disse ainda que estreitar cenários que criem entendimento do que é possível ocorrer daqui pra frente no dia a dia organizacional, e construir formas de se tornar e se manter relevantes. Citou o cone das possibilidades como um recurso para desenhar cenários preferenciais, possíveis, plausíveis e prováveis.

Mostrou um “foresight framework” com cinco etapas (perspectivas, oportunidades, solução, time e visão) e ressaltou que as três primeiras fases têm como objetivo compor uma ideia, enquanto as duas últimas visam a construir condições para que a ideia cresça.

A seguir detalhou cada uma delas. A mostra como desenvolver uma visão longa e clara com base em padrões de história. A oportunidade explora novas oportunidades promissoras, e a solução cria um protótipo viável para modelar o ecossistema para negócio futuro. Por sua vez, o time se concentra no talento por trás de sua grande ideia e, por fim, se consolida uma visão concentrada em compor e comunicar a inovação, descoberta e disrupção que norteará todas as ações futuras. Também é necessário avaliar a maturidade da inovação. “Ver qual a prontidão do teu negócio em relação aos modelos, corrigir erros, ver se a liderança está mais atuante, buscar a excelência operacional para evitar retrabalhos. Estruturar essas formas de lidar com a criação de inovação baseado num cenário potencial”, pontuou.

Zózimo também disse que é necessário desenhar algumas práticas que tornem a empresa relevante, mais moderna, colaborativa. Entre elas citou a criação de cadeias digitais que possam interagir com outros ecossistemas.

Conteúdo: Básica Comunicações

Apoio: Lei de Incentivo à Cultura, Copel e Governo do Paraná

Patrocínio: Condor, Copel, Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania

Patrocinadores: Horizons Telecom, Sistema Fiep, Pós PUC Digital, Condor, Grupo Voitto, Haze Shift, Nexcore, Task TI, Ateliware, Exact Sales, LB2 Consultoria

Correalizadores: Vale do Pinhão, Agência Curitiba de Desenvolvimento, Prefeitura Municipal de Curitiba, ABRH-PR, Condor Connect, Governo do Estado do Paraná, OAB/PR, Sebrae, RPC, Inside Sales Curitiba, CS Move, Women Leadership

Apoiadores: iCities, Faciap, Unifacear, Instituto das Cidades Inteligentes, Unicentro, CREA-PR, Unidep, ADVB-PR, Assespro, Curitiba Angels, Gazeta do Povo, Gazz Conecta, Hotmilk, AAA Inovação, JValério, Great Place to Work, GhFly, Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau (CCVB)