Doutora e mestre em inovação e competitividade pela FGV e pós-doutora em neurociência aplicada à Tecnologia pela UFMG, Solange Mata Machado, ao falar sobre mindset e inovação, observou que o mundo está cada vez mais acelerado, volátil, complexo, incerto e ambíguo e é necessário se reinventar continuamente para enfrentar os desafios profissionais e pessoais. “Aprendizado contínuo é um fator essencial para a transformação”, frisou. Garantiu que pensar diferente e inovar requer esforço, disciplina e muita energia para criar novos aprendizados. Solange participou d Viasoft Connect 2020, na manhã deste sábado(12).

O mindset tem o poder mudar a própria natureza. O mindset pode ser fixo ou de crescimento.  Exemplo de mindset fixo é quando a pessoa acredita que a inteligência lhe é inata e por isso entende as críticas como pessoais, já as pessoas com mindset de crescimento são mais flexíveis, permitem mudanças.

Solange explicou que a inovação requer dois tipos de mindset: o que entrega valor para o mercado atual (incremental) e o que consegue antecipar o futuro e criar novos valores e negócios (transformacional). De acordo com ela, o desafio das empresas, está no mindset organizacional. “Com o tempo, elas desenvolvem regras, normas e métricas desenhadas para perpetuar o modelo de negócio existente. Apesar da capacidade cognitiva dos seres humanos ser flexível, a cultura organizacional não é”, revela. O desafio está em enxergar o processo de inovação como uma prática de comportamento.

“As organizações geralmente desenvolvem um modelo para exercer as suas atividades e com isso montam uma estrutura que tende a ser mais rígida do que flexível”, observou. Uma cultura voltada para o desenvolvimento das capacidades de percepção e observação torna possível pensar um mindset organizacional que melhore os resultados a partir dos novos aprendizados. A mudança de mindset no contexto individual segue a mesma linha do organizacional, por buscar alterar as crenças necessárias a fim de modificar os pensamentos e comportamentos, por meio do autoconhecimento.

Ressaltou que em um mundo com tantas distrações, principalmente por conta dos celulares e da internet, é preciso repensar nossa forma de trabalhar e estudar. Para realmente absorver um conhecimento, a atenção tem que ser plena. “O ambiente é um fator externo que exerce influência sobre o mindset e aprimorar o mindset organizacional melhora os resultados e é preciso ter consciência sobre as próprias crenças para alterá-lo”, pontua.

Os gestores devem entender que as habilidades de um time não dependem única e exclusivamente da capacidade intelectual coletiva. Existe uma grande influência das interações sociais, em que ambiente corporativo e a cultura organizacional têm um grande impacto. E garantiu que relacionar conceitos não convencionais é fundamental para gerar conceitos novos.

Conteúdo: Básica Comunicações

Apoio: Lei de Incentivo à Cultura, Copel e Governo do Paraná

Patrocínio: Condor, Copel, Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania

Patrocinadores: Horizons Telecom, Sistema Fiep, Pós PUC Digital, Condor, Grupo Voitto, Haze Shift, Nexcore, Task TI, Ateliware, Exact Sales, LB2 Consultoria

Correalizadores: Vale do Pinhão, Agência Curitiba de Desenvolvimento, Prefeitura Municipal de Curitiba, ABRH-PR, Condor Connect, Governo do Estado do Paraná, OAB/PR, Sebrae, RPC, Inside Sales Curitiba, CS Move, Women Leadership

Apoiadores: iCities, Faciap, Unifacear, Instituto das Cidades Inteligentes, Unicentro, CREA-PR, Unidep, ADVB-PR, Assespro, Curitiba Angels, Gazeta do Povo, Gazz Conecta, Hotmilk, AAA Inovação, JValério, Great Place to Work, GhFly, Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau (CCVB)