Growth Hacking virou buzzword já tem um tempo, mas ainda causa bastante confusão. Muita gente ainda confunde o conceito e, principalmente, se questiona se é melhor que o Marketing Digital.

 

Neste post você vai descobrir de uma vez por todas o que é Growth Hacking, qual é a diferença entre o Marketing Digital e se pode ser usado pela sua empresa para impulsionar o crescimento.

O que é Marketing Digital?

Antes de começar a falar sobre Growth Hacking, vamos primeiro relembrar o que é Marketing Digital:

 

Um conjunto de estratégias online para criar relacionamento, desenvolver uma marca e atrair novos compradores para seus produtos e/ou serviços.

 

Entre as estratégias mais comuns estão os anúncios em mídias pagas (como Google Ads ou Facebook Ads), Inbound Marketing (ou Marketing de Atração), Marketing de Conteúdo, Redes Sociais, E-mail Marketing, e outras. 

E o que é o tal do Growth Hacking?

Growth Hacking é um termo cunhado por Sean Ellis, considerado o pai da metodologia. Segundo Sean, Growth Hacking é o Marketing orientado a experimentos. 

 

Engana-se, porém, quem pensa que o Growth Hacking é somente mais uma forma de fazer Marketing Digital. O Growth Hacking na realidade é principalmente uma mentalidade, cujo foco é o crescimento através de uma visão holística do negócio.

 

No Growth Hacking busca-se criar alavancas para obter um crescimento mais rápido através de hipóteses e experimentos nas diferentes fases do funil de Growth:

 

  • Aquisição
  • Ativação
  • Retenção
  • Receita
  • Recomendação

 

Este funil muitas vezes também é conhecido como Funil Pirata, por conta do seu acrônimo AARRR. (Spoiler: se quer saber mais sobre este funil, continua acompanhando aqui no blog do Viasoft Connect!)

 

Outro diferencial do Growth Hacking é o seguinte: Toda estratégia de Growth Hacking é definida observando uma única métrica, a North Star Metric. Sean Ellis define a NSM como a única métrica que realmente importa em um negócio e que representa o valor real percebido pelos usuários/clientes x o crescimento da empresa.

 

Alguns exemplos famosos de empresas e suas NSM são:

 

  • Uber: Número de corridas diárias
  • Facebook: Número de usuários ativos diários
  • Airbnb: Número de noites reservadas

 

Perceba que nenhuma destas empresas trabalha com assinatura de seus serviços, mas ainda assim elas utilizam essas métricas para monitorar a recorrência de seus clientes e com isso o seu próprio crescimento.

 

Resumindo, Growth Hacking é uma mentalidade e metodologia que pode ser usada para otimizar a atração de novos clientes, melhorar a retenção de clientes e impulsionar as recomendações, aumentar a conversão de vendas…  

No fim, Growth Hacking é melhor que Marketing Digital?

Não existe isso de Growth Hacking ser melhor que Marketing Digital. 

 

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Growth Hacking pode ser aplicado nas estratégias de Marketing Digital e Marketing Digital pode ser usado como parte de estratégias de Growth Hacking.

Growth Hacking é só para startups e empresas SaaS?

A resposta é não! Existem 19 tipos diferentes de canais de tração para serem explorados, inclusive no mundo offline. Se sua empresa tem produto ou serviço (e eu realmente acredito que tenha, por motivos óbvios), você pode sim aderir ao Growth Hacking. Não se esqueça que mais que metodologia, Growth Hacking é uma mentalidade.

 

Acompanhe o blog do Viasoft Connect para desvendar todo o potencial do Growth Hacking no seu negócio! Vem mais posts sobre o tema por aqui!

 

Ficou com uma dúvida ou quer trocar figurinhas? Fala comigo no Instagram ou Linkedin

Gabriela Stark é Gerente de Marketing e CS – Preâmbulo Tech e faz parte do time de palestrantes do Viasoft Connect!