Há algumas semanas participei de uma roda de conversa sobre a presença feminina no mercado de tecnologia, você pode assistir aqui. Enquanto me preparava, percebi que até então na minha trajetória em tecnologia, nunca tive uma líder mulher. Estou na área há 12 anos, atuando como developer full-stack, tech lead, project manager e, até agora, design coordinator.

Dessa vez, resolvi deixar de lado todas as barreiras que ainda prejudicam a ascensão feminina em cargos de gestão e todos os dados, que comprovam isso para falar da Beyoncé e, de como ela me inspirou a ser uma mulher, uma profissional e uma líder (em tecnologia) melhor.

“Nós precisamos remodelar a nossa própria percepção de como nós nos vemos. Nós temos que assumir o papel como mulheres e tomar a frente. “— Beyoncé

 

Assisti inúmeras vezes HOMECOMING, apresentação no Coachella Valley 2018 em que Beyoncé foi a primeira mulher negra a encerrar o festival. E que encerramento! O documentário mostra a preparação e, entre uma cena de bastidores e outra, é reforçada a imagem de mulher ambiciosa e disruptiva da mesma maneira que a mostra como uma mulher cheia de inseguranças consigo mesma.

As imperfeições também deixam as pessoas mais inspiradoras, porque causam mais identificação, mais realidade! — Fer Fonseca

 

Isso, para mim, é justamente o se sentir líder. É enquanto você direciona, esbarrar em respostas que não sabe. Enquanto precisa inspirar, também precisa enfrentar as mais profundas inseguranças. Resolvi então, registrar os insights que Beyoncé escancarou na minha cara em Homecoming.

• Invista no seu autoconhecimento

Por mais que Beyoncé tenha nascido Beyoncé, ela precisou se tornar A Beyoncé. Não foi do dia para noite que ela saiu do Destiny’s Child para ser a atração principal do Coachella. Beyoncé precisou se testar em vários estilos até achar a essência da sua arte.Se desconstruir é um processo diário, é preciso ter coragem de encarar aspectos profundos do nosso ser. Seja qual for a melhor abordagem (psicoterapia, terapias holísticas, etc) para desenvolver seu autoconhecimento, invista nele e invista com vontade.

 

• Siga seus valores

Eu sou uma pessoa que preciso dar sentido, dar propósito para aquilo que me envolvo. Se você também é assim, só posso reforçar que a jornada do autoconhecimento é essencial para você se envolver em projetos e iniciativas que estão alinhadas ao que você acredita, aos seus valores pessoais e profissionais.
Foi me conhecendo melhor que encontrei o que me dá paz ao deitar para dormir. Saber que trabalho em uma iniciativa em que estão de acordo com o que julgo tornar o mundo melhor. Para chegar nesta resposta, você pode fazer como eu fiz: elencando tudo aquilo que eu não queria mais para minha vida, como trabalhar em uma empresa com situações de intolerâncias escancaradas ou em iniciativas privadas que vão contra meus princípios.

• Vá com medo mesmo

No começo eu comentei sobre da falta de experiência com líderes mulheres. Mas quando percebi isso, também percebi que ao longo de toda essa jornada, eu fui muitas vezes “a primeira”. A primeira desenvolvedora da empresa. A primeira coordenadora de um time de tecnologia. A primeira líder de design. E por aí vai…
Muitas vezes me senti incapaz ou desacreditei de mim mesma. Não tem jeito. Nem sempre você se sentirá pronta e está tudo bem. O importante é se arriscar, ir com medo mesmo.

Isso não significa negligenciar seus sentimentos e inseguranças. Quando você conhece seus medos, você tem a oportunidade de construir um plano que te dê a segurança que precisa. Confie no seu conhecimento, confie na sua intuição.
E pode ter certeza, você vai errar em alguma coisa. E a melhor coisa de errar é aprender. Como você pode fazer melhor a segunda vez sem ter feito a primeira?

 

• Seja intelectualmente transparente

Você não sabe tudo e nem sempre terá a resposta. Seja intelectualmente transparente com quem trabalha contigo.
Esse é mais um insight que coloca nossa vulnerabilidade à tona. Mas dizer um “eu não sei” pode ser tão libertador quanto acolhedor. Abra espaço para a equipe trabalhar junto, reconheça a colaboração deles, você pode não saber, mas alguém da sua equipe pode. E você aprende com eles. Dê créditos, por mais que você seja a tomadora de decisão. O seu sucesso como líder é o desenvolvimento, o crescimento e a realização de cada uma daquelas pessoas que completam seu time.
Se colocar como vulnerável é uma das habilidades mais humildes e inspiradoras que uma liderança pode ensinar para seus liderados.

• Seja você mesma

Quando começamos a liderar, é natural que a gente “roube” características das lideranças que já tivemos. Sejam as práticas boas e as não tão boas. Muitas vezes, até uma característica boa, se não faz parte da nossa essência como pessoa, pode ser algo muito dolorido e mentalmente cansativo de se colocar em prática.

Existem diversos estilos de liderança, este aqui é um dos estudos que recomendo. É interessante que você busque conhecer o seu perfil, não significa ficar preso a ele, mas ter uma noção de como potencializar seus talentos que são ótimas habilidades para liderar assim como conhecer suas dificuldades e como lidar com elas no dia a dia.

Não tente ser outra pessoa, seja você mesma. Seu time vai te valorizar mais conhecendo quem você realmente é como pessoa. Por isso, se respeite, se valorize e se ame.

 

• Você não está sozinha e precisamos apoiar outras mulheres a chegarem lá

Lembre-se que você tem suas inseguranças assim como outras mulheres também têm, mesmo ela sendo a Beyoncé. Como mulheres, nosso papel é fechar o bonde. É criar uma rede de apoio que nos ajude a soltar as angústias em doses de coragem.

Por isso, conheça as mulheres que estão ao seu lado. Entre em uma reunião sabendo que você está ali para elas como elas estão para você. Apoie-as assentindo com a cabeça enquanto elas falam, pedindo novamente o espaço de fala quando forem interrompidas, reconhecendo boas ideias que surgem por elas.

A partir do momento que você muda sua postura perante outras mulheres, você apoia com que elas também mudem perante tantas outras. Quando você levanta uma mulher, ela levanta outra.

 

Desde o ano passado venho treinando e mentorando profissionais, empresas e, principalmente, mulheres a estarem mais próximas das pessoas com que trabalham para que de fato seu papel como liderança seja um impacto positivo.

De tudo que estudo, de tudo que coloco em prática, de tudo que Beyoncé me ensinou por meio da sua carreira, de suas conquistas e seu posicionamento, nenhum conselho que posso te dar é mais valioso do que este:

Seja líder de si mesma. ✨✨✨

Liderança não é apenas direcionar, muito menos cobrar. Liderança é exemplo. Se você não lidera suas próprias responsabilidades, como vai exigir de alguém? Não se exige inteligência emocional de um liderado, se a liderança não tem.
Seja líder de si mesma, pois você mulher, atuando em áreas tecnológicas, saiba que, se já não foi a pioneira em alguma posição, situação, empresa, etc, você ainda será. Então, siga em frente e vá além do que imagina que possa ir. E, lembre-se: você não está sozinha 💪

 

 

Adriane Quintas é Especialista em Experiência do Usuário, Design Coordinator no olist.com e apaixonada por eventos que reúnem a comunidade. Ela faz parte do time de palestrantes de Viasoft Connect!