“A sustentabilidade está no DNA da Nissan”, garante Pedro Bentancourt, diretor de Relações Externas e Governamentais da empresa no Brasil. “O conceito de sustentabilidade da Nissan foi construído em três pilares: meio ambiente, social e governança. Para nós, sustentabilidade é uma oportunidade de inovação, e está inserida na maneira como treinamos e desenvolvemos nossos colaboradores; como adquirimos bens e serviços de nossos fornecedores; a maneira que fabricamos nossos produtos; como selecionamos e interagimos com nossa rede de importação e concessionárias, e como o refletimos em cada contato com nossos clientes”, explicou o palestrante, presente no evento graças a um convite feito pela Haze Shift.

 

Disse que o ápice da aplicação da sustentabilidade na Nissan é, sem dúvida, o Nissan LEAF, modelo 100% elétrico mais vendido do mundo, afirmou Bentancourt. Pediu licença para fazer um pouco de propaganda e informou que, desde o seu lançamento no mercado, em 2010, o veículo já vendeu 500 mil unidades, já percorreram mais de 16 mil milhões de quilômetros, evitando as emissões de 2,5 mil bilhões de quilogramas de dióxido de carbono para a atmosfera. Além de reduzir a poluição e melhorar a qualidade do ar, o LEAF diminui a formação de ilhas de calor, e pode servir como fonte de abastecimento de energia. Sobre isso ele contou que no grande terremoto que sacudiu o Japão, em 2011, que causou tsumani, o país ficou sem energia elétrica, e o veículo forneceu energia capaz de deixar uma casa com quatro pessoas totalmente funcional por até três dias.

 

Ainda sobre a tecnologia do LEAF, o executivo disse que a Nissan e a Universidade Federal de Santa Catarina iniciaram testes para o uso de baterias de segunda vida do veículo, como por exemplo, para armazenar a energia de postes de luz equipados com painel solar fotovoltaico. Após a utilização nos veículos elétricos, as baterias ainda possuem uma grande capacidade de carga remanescente, explica.

 

Ainda nas ações de sustentabilidade aplicada em todas as unidades, Bentancourt citou a fabricação de produtos ecoeficientes que contribuem para a redução de impactos ambientais, aproveitamento da iluminação natural nas instalações, reuso de água no teste de lavagem dos carros, reaproveitamento do plástico dos para-choques, implantação de sistema de pintura otimizada e tinta à base de água e instalação de iluminação com lâmpadas LED.

 

Betancourt pontuou também que a Nissan contempla a melhoria da governança corporativa por meio de sistemas robustos de compliance, para colocar em prática uma gestão e controles mais consistentes, em suas ações de sustentabilidade.

 

Instituto Nissan

 

A Nissan busca ser uma empresa cidadã onde quer que faça negócios, e criou o Instituto Nissan, que coordena todas as ações de responsabilidade social da empresa com foco na sociedade brasileira, e já registra mais de 118 mil pessoas beneficiadas, espalhadas por municípios de São Paulo e Rio de Janeiro, em Resende e em São José dos Pinhais. As ações têm a sustentabilidade, a mobilidade e a comunidade como principais pilares, e visam à educação como a melhor forma de contribuir para o desenvolvimento da sociedade, todas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, da ONU.

 

O Instituto Nissan promove também o voluntariado entre os funcionários da empresa com a missão de valorizar e transformar vidas por meio da promoção gratuita da educação, capacitação profissional, saúde, meio ambiente e assistência social. São mais de 304 funcionários cadastrados oficialmente como voluntários e mais de 6 mil pessoas impactadas todos os anos. “O Instituto Nissan é um dos projetos mais importantes para a Nissan, que reforça o nosso comprometimento com a sociedade”, frisou.

 

Junto com o Instituto e com a comunidade Rio Sul Valley, formou-se a parceria com a Haze Shift no sentido de cocriar e fazer a operação do projeto Inova-San, programa de inovação aberta e educação empreendedora da Nissan para gerar impacto no ambiente acadêmico do sul fluminense no Rio de Janeiro.

 

O desafio era desenvolver iniciativas de impacto por meio da inovação no entorno da unidade da marca localizada na cidade de Resende, focando no relacionamento com a comunidade com ênfase no ambiente universitário a partir do fomento das temáticas da sustentabilidade, inovação e acessibilidade.

 

O trabalho desenvolvido por dez meses superou as expectativas e atingiu um grande alcance de conexões. Foram mais de 10 mil pessoas nas cidades do sul fluminense e de outras regiões do Brasil impactadas positivamente e um total de 1 mil participantes na edição 2019, de 13 cidades, com 250 projetos inscritos de 26 instituições de ensino envolvidas, além de 3 eventos presenciais realizados. Neste ano, foram 545 participantes, 250 projetos inscritos, 20 instituições de ensino, 60 eventos online e 18 cidades fazendo parte da ação.

 

Outro ponto positivo do projeto foi conseguir envolver a rede interna de colaboradores da marca: mais de 200 colaboradores, 30 mentores do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro e o estabelecimento de parcerias com 10 instituições de ensino superior da região, que trouxeram a cooperação técnica com 3 universidades.

 

Visão de futuro

 

De acordo com Bentancourt, a sustentabilidade está pautada a partir da diretriz global da companhia e faz parte da sua estratégia de negócios: criar valor econômico, desenvolver tecnologia para fornecer soluções à sociedade; e compromisso com todas as partes interessadas pela promoção de uma mobilidade mais limpa, segura e sustentável.

 

Por fim, o executivo apresentou a visão de futuro da sustentabilidade sob o olhar da Nissan: pense sempre no cliente, mostre fatos, encare a realidade, seja responsável, aja proativamente, pense fora da casa e respeite os outros e a sociedade.

 

E também destacou alguns pontos da estratégia global de sustentabilidade da empresa até 2022, que é fornecer produtos e serviços automotivos exclusivos e inovadores que entreguem valores mensurareis superiores para a clientes, acionista, funcionários e comunidades:  zero-emissão de carbono, fatalidade zero na sociedade pela eliminação de acidentes de trânsito envolvendo carros Nissan e crescer como organização inclusiva que apoia uma gama de diversificada de funcionários e habilidades.

 

Conteúdo: Básica Comunicações

 

Apoio: Lei de Incentivo à Cultura, Copel e Governo do Paraná

 

Patrocínio: Condor, Copel, Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania

 

Patrocinadores: Horizons Telecom, Sistema Fiep, Pós PUC Digital, Condor, Grupo Voitto, Haze Shift, Nexcore, Task TI, Ateliware, Exact Sales, LB2 Consultoria

 

Correalizadores: Vale do Pinhão, Agência Curitiba de Desenvolvimento, Prefeitura Municipal de Curitiba, ABRH-PR, Condor Connect, Governo do Estado do Paraná, OAB/PR, Sebrae, RPC, Inside Sales Curitiba, CS Move, Women Leadership

 

Apoiadores: iCities, Faciap, Unifacear, Instituto das Cidades Inteligentes, Unicentro, CREA-PR, Unidep, ADVB-PR, Assespro, Curitiba Angels, Gazeta do Povo, Gazz Conecta, Hotmilk, AAA Inovação, JValério, Great Place to Work, GhFly, Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau (CCVB)